Navegador sem suporte a javascript JavaScript!
Município de Vieira do Minho

Câmara aprova nome do novo Centro Escolar

"Centro Escolar Domingos de Abreu"

2012-08-16
"Centro Escolar Domingos de Abreu" foi o nome aprovado, hoje em Reunião de Câmara para o novo Centro Escolar de Vieira do Minho que vai entrar em funcionamento já no próximo mês de Setembro.
Na base desta decisão está a proposta apresentada pelo Presidente da Câmara, Dr. Jorge Dantas, que sustenta que a atribuição de um nome de uma personalidade histórica do Concelho tem vantagens significativas, porque revela a nossa história, salientando quem se distinguiu no País pelos valores e ideias que defendeu e pelos feitos realizados; fornece aos alunos e à comunidade escolar referências positivas e identitárias de incentivo à educação e ao adquirir de conhecimentos; mostra ainda, o empenho e reconhecimento da Câmara Municipal por todos os que projectaram e projectam o nome de Vieira do Minho.
Na base desta decisão está a proposta apresentada pelo Presidente da Câmara, Dr. Jorge Dantas, que sustenta que a atribuição de um nome de uma personalidade histórica do Concelho tem vantagens significativas, porque revela a nossa história, salientando quem se distinguiu no País pelos valores e ideias que defendeu e pelos feitos realizados; fornece aos alunos e à comunidade escolar referências positivas e identitárias de incentivo à educação e ao adquirir de conhecimentos; mostra ainda, o empenho e reconhecimento da Câmara Municipal por todos os que projectaram e projectam o nome de Vieira do Minho.

Da vida e obra deste ilustríssimo Vieirense, pai de Dr Guilherme de Abreu, que deu nome à Praça em frente aos Paços do Concelho, ficam aqui alguns registos:

Domingos de Abreu, de nome completo Domingos Manuel Pereira de Carvalho Abreu, nasceu em Ruivães a 23 de Agosto de1797 e faleceu em Mosteiro a 11 de Junho de 1873; O Pai de Domingos de Abreu, António José Gonçalves Pereira de Carvalho Abreu foi um destacado herói da resistência às invasões francesas comandadas pelo General Soult; Domingos de Abreu frequentou a Universidade de Coimbra entre 1814 e 1819, na Faculdade de Leis de Cânones; Foi nomeado Juiz de Fora de Alijó e louvado pelo seu desempenho, por Portaria Régia de Abril de 1923, sendo de seguida nomeado Juiz de Fora de Vila Real.

Não desempenhou funções em Vila Real porque aderiu à Causa Liberal. Durante dez anos andou fugido e em luta com os absolutistas. De facto, entre 1823 e 1833, disfarçado de mendigo andou “a monte e por lugares afastados”*, devido ao seu amor à liberdade e ao regime Constitucional.

Reposto o Governo Constitucional Domingos de Abreu é nomeado, em 1833, corregedor de Barcelos “em atenção aos seus merecimentos e perseguição que sofreu do governo usurpador”*.

Foi ainda Juiz em Bragança, Cabeceiras de Basto, Ponte de Lima, Amarante e Póvoa de Lanhoso. Dada a qualidade de um “magistrado sábio, rectíssimo e modelo de concisão e elegância literária”* as principais sentenças foram publicadas na “Gazeta dos Tribunaes”* em separata com o título “Sentenças Cíveis e Crimes do Dr. Domingos Manuel Pereira de Carvalho Abreu”*.

O Juiz Domingos de Abreu adquiriu projecção e prestígio nacionais, devido ao desempenho como magistrado e à defesa da liberdade e do trono legítimo, sendo reconhecido e agraciado pelo Rei em 1845, 1853 e 1860:

Em 1845 foi nomeado por Portaria Régia Cavaleiro da Ordem de Cristo; Em 1853 foi nomeado por Decreto Régio Comendador da Ordem de Cristo; Em 1860 foi nomeado por Carta Régia Comendador da Ordem de Nossa Senhora de Vila Viçosa.

Domingos de Abreu tem descendência no nosso Concelho e um pouco por Portugal inteiro (Ponte de Lima, Vila Nova de Famalicão, Porto, Lisboa, Cascais e Algarve).

A reunião serviu também para aprovar o projecto de Revisão do Regulamento e Tabela de Taxas Municipais e Fundamentação Económico-Financeira relativa ao valor das mesmas. Nesta reunião o executivo decidiu , ainda apoiar dois pedidos de renovação de apoio directo o arrendamento urbano.

O Executivo deliberou, também sobre a proposta de Suspensão do Plano Director Municipal nas áreas que serão afetadas pela execução das obras do descarregador de cheias complementar de Caniçada, com vista à aprovação da assembleia Municipal.

*Citações retiradas do livro “Vieira do Minho - Notícia Histórica e Descritiva” do Padre Alves Vieira, publicado em 1924.
Da vida e obra deste ilustríssimo Vieirense, pai de Dr Guilherme de Abreu, que deu nome à Praça em frente aos Paços do Concelho, ficam aqui alguns registos:

Domingos de Abreu, de nome completo Domingos Manuel Pereira de Carvalho Abreu, nasceu em Ruivães a 23 de Agosto de1797 e faleceu em Mosteiro a 11 de Junho de 1873; O Pai de Domingos de Abreu, António José Gonçalves Pereira de Carvalho Abreu foi um destacado herói da resistência às invasões francesas comandadas pelo General Soult; Domingos de Abreu frequentou a Universidade de Coimbra entre 1814 e 1819, na Faculdade de Leis de Cânones; Foi nomeado Juiz de Fora de Alijó e louvado pelo seu desempenho, por Portaria Régia de Abril de 1923, sendo de seguida nomeado Juiz de Fora de Vila Real.

Não desempenhou funções em Vila Real porque aderiu à Causa Liberal. Durante dez anos andou fugido e em luta com os absolutistas. De facto, entre 1823 e 1833, disfarçado de mendigo andou “a monte e por lugares afastados”*, devido ao seu amor à liberdade e ao regime Constitucional.

Reposto o Governo Constitucional Domingos de Abreu é nomeado, em 1833, corregedor de Barcelos “em atenção aos seus merecimentos e perseguição que sofreu do governo usurpador”*.

Foi ainda Juiz em Bragança, Cabeceiras de Basto, Ponte de Lima, Amarante e Póvoa de Lanhoso. Dada a qualidade de um “magistrado sábio, rectíssimo e modelo de concisão e elegância literária”* as principais sentenças foram publicadas na “Gazeta dos Tribunaes”* em separata com o título “Sentenças Cíveis e Crimes do Dr. Domingos Manuel Pereira de Carvalho Abreu”*.

O Juiz Domingos de Abreu adquiriu projecção e prestígio nacionais, devido ao desempenho como magistrado e à defesa da liberdade e do trono legítimo, sendo reconhecido e agraciado pelo Rei em 1845, 1853 e 1860:

Em 1845 foi nomeado por Portaria Régia Cavaleiro da Ordem de Cristo; Em 1853 foi nomeado por Decreto Régio Comendador da Ordem de Cristo; Em 1860 foi nomeado por Carta Régia Comendador da Ordem de Nossa Senhora de Vila Viçosa.

Domingos de Abreu tem descendência no nosso Concelho e um pouco por Portugal inteiro (Ponte de Lima, Vila Nova de Famalicão, Porto, Lisboa, Cascais e Algarve).

A reunião serviu também para aprovar o projecto de Revisão do Regulamento e Tabela de Taxas Municipais e Fundamentação Económico-Financeira relativa ao valor das mesmas. Nesta reunião o executivo decidiu , ainda apoiar dois pedidos de renovação de apoio directo o arrendamento urbano.

O Executivo deliberou, também sobre a proposta de Suspensão do Plano Director Municipal nas áreas que serão afetadas pela execução das obras do descarregador de cheias complementar de Caniçada, com vista à aprovação da assembleia Municipal.

*Citações retiradas do livro “Vieira do Minho - Notícia Histórica e Descritiva” do Padre Alves Vieira, publicado em 1924.

Adicionar comentário

Comentário
Nome
Email
Insira as letras na caixa
VIEIRA DO MINHO TURISMO
Vieira do Minho-Negócios
Património Arquitetónico e Arqueológico
Agenda Cultural
Queixas / Sugestões
Universidade Sénior
Consulta número de eleitor
Risco de Incêndio
A Minha Rua
Protecção Civil