Null
Yahoo! Weather

Freguesia de Guilhofrei

Dista 10 Km da sede do concelho. A antiga freguesia, abundantemente documentada desde os fins do séc. XII, trazia anexas a si, em 1551, a de Santa Maria dos Ladrões e, em 1528, a de S. Paio de Brunhaes. Era reitoria da apresentação do Ordinário e comenda da Ordem de Cristo.
Foi cabeça do antigo e extinto concelho de Vila Boa da Roda (porque possuía uma “roda de engeitados”), tendo recebido foral de D. Afonso III em 15 de Fevereiro de 1261 e de D. Manuel I a 8 de Agosto de 1514, altura em que estava adstrita à comarca de Guimarães. Em 1852 aparece na comarca de Lanhoso e, em 1878, na de Vieira e no julgado de Rossas.
A freguesia engloba os lugares de Assento, Calvelos, Crasto, Ermal, Guilho-frei, Lomba, Louredo, Penelas, S. Silvestre e Vila Boa.
No seu livro “Vieira do Minho”, de 1925, o padre Alves Vieira propõe-nos alguns percursos para melhor apreciar os encantos de Guilhofrei: “Eu, no seu lugar, dava o primeiro passeio à serra. O Merouço é algo de surpreendente e deslumbrante, em dias de refulgente sol. Ou se volte para Vieira, ou para Fafe, o cenário é sempre de um encanto sublime; mas estamos em dizer que o panorama para o lado de Vieira é dos tais que a nossa retina nunca pode esquecer. (...) Para o lado de Fafe a vista não encontra esse conjunto surpreendente e variado de belezas, o panorama é por ventura mais triste e soturno, menos variado, mas em compensação, como é grandioso, vasto, desmesurado, dando-nos uns longes do infinito (...) Não desça o leitor da serra sem lançar uma vista de olhos para aquele prestimoso e fecundo vale de Rossas, que alguém chamou o celeiro do Minho e de todo o país (...).
(...) No segundo passeio não saia do centro da freguesia. Tem muito que ver: a casa do sr. visconde de Guilhofrei (...) ; em seguida a capela e escolas do mesmo venerando e prestante cavalheiro; logo a seguir a igreja paroquial, uma das primeiras que houve por estes sítios, si vera est fama, com uma fachada interessante, denunciando um estilo que se mutilou, que era puro românico; logo abaixo o famoso carvalho do Ermal. (...) Numa terceira caminhada, passando rente à casa que foi do saudoso Dr. José Carneiro, desça ao rio; pelo caminho encontrará a sempre árvore predilecta da nossa terra: o carvalho. (...) Descendo o rio, estamos a breve trecho no ponto em que se lhe junta o que vem de Vieira. (...) A ponte de Riolongo vem agora. Já a conhecemos. Lá segue a levada de Ermal. Agora o rio, que até aqui bordejava campos e pauis, tem de se defrontar com a penedia brava e inclemente
”.
Local de lazer e de grande atracção turística – a Barragem de Guilhofrei.
Esta freguesia apresenta-se desde 1960 com um movimento demográfico em ritmo ascendente.


 

dados gerais

 


População
961 - Dados Censos 2011

Actividades económicas
Indústria, comércio e agricultura

Festas e Romarias
S. Silvestre (2.º domingo de Maio), Senhora de Fátima (2.º domingo de Agosto), S. Tiago (domingo mais próximo a Julho) e Senhora de Lurdes (último domingo de Dezembro)

Património
Capelas de S. André, S. Silvestre, Nossa Senhora de Lurdes, Senhora de Fátima e igreja de S.Tiago

Outros locais
Barragem de Guilhofrei, Carvalho do Ermal, Fojo dos Lobos no monte do Merouço, Museu Etnográfico de Guilhofrei, praia fluvial e Carvalha Grossa (Ermal)

Gastronomia
Cabrito, vitela, cozido e "pica-no-chão"

Artesanato
Tecelagem, rendas, bordados e alfaias agrícolas

Colectividades
Associação Cultural e Recreativa de Guilhofrei, Rancho Folclórico Infantil Flores de Santiago e Associação Cultural Recreativa de Guilhofrei

Orago
S.Tiago

 
junta de freguesia

 


Presidente
​José Fernando Sampaio de Castro


Endereço
Rua das Penelas, nº 96,
4850-194 Guilhofrei

Telefone
964 300 588

E-mail 
juntafreguesiaguilhofrei@hotmail.com

 
lista de freguesias